Storytelling

Quando apresentamos novos produtos ou ideias comerciais e utilizamos técnicas de narração de histórias, tornamos a mensagem mais acessível, mais susceptível de envolver o nosso público e de ser apoiada por eles.

Uma boa história desencadeia importantes mudanças químicas no nosso cérebro. A amígdala liberta dopamina, o neurotransmissor que nos dá a sensação de prazer e permite que a informação seja processada e memorizada.

Segundo o historiador e filósofo Yuval Harari, é a nossa capacidade de imaginar histórias e acreditar nelas que nos permite comunicar a uma escala global. No mundo dos negócios, a nossa capacidade de contar histórias permite que muitas ideias comerciais permaneçam, durante muito tempo, na mente das pessoas. As histórias contadas por Alexandre o Grande, Steve Jobs ou Elon Musk deram origem a produtos e conceitos que ainda hoje desempenham um papel importante nas nossas vidas. Como foram criadas estas histórias? Porque é que as pessoas devem preocupar-se com o projecto ou produto apresentado? Como é que isso melhora as suas vidas ou muda o mundo?

Os grandes contadores de histórias concentram-se no seu público. Eles fazem os seus trabalhos de casa: sabem com quem vão falar, e prestam atenção à forma como o público reage; se é através do que dizem, o que os faz rir e a sua linguagem corporal.

Todos contamos histórias: sobre o nosso dia, o que fizemos, o que vimos, o que sentimos. Esta é uma habilidade que todas as pessoas possuem e que pode ser desenvolvida de modo a ter um maior impacto.

As histórias não só dão sentido às nossas vidas, como humanizam os nossos negócios. Estruturar as nossas histórias e aprender a contá-las melhor ajuda-nos a apresentar qualquer informação – ideias comerciais, produtos, serviços – de uma forma familiar, eficiente, autêntica e com resultados surpreendentes.

Durante o workshop de contos de histórias, os participantes terão a oportunidade de experimentar e inspirar o grupo através da criação e partilha das suas próprias histórias. Compreenderão melhor como estruturar uma boa história, que tom de voz usar nos momentos certos, como usar a linguagem corporal e o silêncio para envolver e surpreender a sua audiência.

OBJECTIVOS

Neste workshop, pretende-se que cada participante o faça:

– Conhecer a importância e os benefícios de contar histórias no contexto das empresas;

– Reconhecer as competências que já possuem na narração de histórias;

– Assimilar os fundamentos do Storytelling

– Descubra exemplos práticos da utilização do Storytelling em apresentações e Pitch;

– Compreender o que é uma boa estrutura de Storytelling e Pitch;

– Aprender a utilizar a linguagem corporal para comunicar eficazmente;

– Perder o medo de cometer erros e ganhar confiança nas apresentações de projectos e ideias;

– Compreender como estabelecer uma ligação eficaz com o público;

– Pôr em prática as várias ferramentas de Storytelling

PROGRAMA

Introdução ao Storytelling

– Porque é importante contar histórias?

Somos todos Contadores de Histórias.

– O que é uma boa estrutura de narração de histórias?

– Técnicas de Storytelling

Contação de histórias e Apresentações

– O que é uma boa apresentação e porque é que estamos sempre apresentando.

– Estudos de casos de histórias eficazes num contexto empresarial.

A importância da linguagem corporal

O que pode correr mal? Como se conectar com o público?

O poder da visualização.

Apresentações

– Calendário, metáforas, humor, ênfase e ritmo.

– Praticar eficazmente a dar e receber feedback.

METODOLOGIA

Nas actividades desta formação é utilizada uma metodologia pedagógica participativa, aprender fazendo, para facilitar a aquisição de conhecimentos e a experimentação de novas técnicas. Os exercícios práticos provêm das áreas metodológicas da Criatividade, Teatro de Improvisação, Princípios do Jogo.

Duração: 7 horas

O público não precisa de se afinar a si próprio – precisa de afinar a sua mensagem para eles. A apresentação competente requer a compreensão dos seus corações e mentes e a criação de uma mensagem que ressoe com o que já lá está.

Nancy Duarte